Siga-nos nas redes sociais

© Copyright 2017 Junta de Freguesia de Silgueiros, Todos os direitos reservados.

O PATRIMÓNIO DE SILGUEIROS

São antiquíssimas as terras e os povos que compõe a atual freguesia de Silgueiros
PATRIMÓNIO
São antiquíssimas as terras e os povos que compõe a atual freguesia de Silgueiros. Um pouco por todo o lado, deparamo-nos com testemunhos de um povoamento ancestral, cujas origens ainda estão por desvendar. São pré-históricos, os vestígios mais antigos da presença do Homem achados nestas terras. Terra fértil, Silgueiros tornou-se com o passar dos séculos num local de grande importância agrícola e os seus frutos alcançaram a primazia, entre outros, subindo às mesas dos viseenses e até descendo aos porões das caravelas portuguesas. Dos vestígios deixados pelos Mouros, os mais importantes são as Lagaretas e as Campas Antropomórficas (Campas dos Mouros). Existem ainda vestígios da presença dos romanos em Silgueiros. No interior da aldeia de Póvoa Dão ainda se encontra um troço de uma estrada romana em bom estado de conservação. Essa estrada partia de Viseu, passava por Teivas, Rebordinho e Oliveira de Barreiros para depois atravessar Silgueiros e, por fim, seguia por Sangemil a caminho de Tábua. Remonta ao ano de 1127, talvez o mais antigo pergaminho conhecido onde os homens escreveram o nome de Silgueiros, então na forma de Sirgueiros. Trata-se se um diploma que regista uma inquirição ordenada pela rainha D. Teresa, mãe de Afonso Henriques, e pelo conde D. Fernando Peres de Trava. Daganel e D. Sancha Gonçalves fundaram a paróquia em 1186, instituindo o padroado de Santa Maria de Silgueiros. Na Idade Média, a freguesia era dividida pelos concelhos de Oliveira de Barreiros e de Ranhados, sabendo-se ainda que possuía quatro cavalarias reais: uma em Silvares, outra em Lajes e duas em Passos. Uma cavalaria era “um cavaleiro vilão, a quem o rei concedia terras e privilégios para que se obrigasse a ter cavalo e para que se apresentasse na guerra, quando convocado, devidamente montado e armado”. Os concelhos referidos foram extintos por decreto a 6 de Novembro de 1836, passando Silgueiros para o concelho de Viseu. A paróquia da freguesia teve sempre grande importância, tornando-se numa freguesia de renome após as grandes reformas do Liberalismo. Os responsáveis pela paróquia eram os Presidentes de Junta da Paróquia, cargo que hoje é ocupado pelos Presidentes de Junta de Freguesia. A 20 de Junho de 1997, Silgueiros foi elevada à categoria de vila.

Texto Baseado em pesquisas do Prof. António Lopes Pires e do Prof. João Ferreira da Fonseca

Siga-nos nas redes sociais

Acompanhe todas as novidades da Vila de Silgueiros através das nossas redes Sociais.